A saída do Ministro da Justiça

A saída do ministro José Eduardo Cardozo provocou muitas especulações e começa a provocar debates e uma crescente preocupação com um retrocesso democrático. Cláudio Beato Filho, Professor do Departamento de Sociologia e Antropologia da UFMG, é um dos ícones da Segurança Pública no Brasil. Suas considerações, publicadas em Qualidade da Democracia, a respeito da saída do ministro merecem uma análise e uma reflexão profundas. Leia o texto em:

http://qualidadedademocracia.com.br/razoes-da-saida-do-ministro-da-justica/

O Desarmamento e seus efeitos na Áustria

O Desarmamento e seus efeitos na Áustria

Uma equipe de pesquisadores austríacos, Kapusta, Etzersdorfer, Krall e Sonneck pesquisaram os efeitos na reforma legislativa na Uniao Europeia sobre as taxas de homicídio e de suicídio na Áustria. Seus resultados foram publicados no importante British Journal of Psychiatry. Descobriram que a presença de armas em casa é um fator de risco do suicídio e do homicídio domésticos.

Como fizeram a pesquisa? Relacionaram as estatísticas oficiais da Áustria sobre as permissões para ter armas de fogo de 1985 a 2005, assim como os dados sobre suicídios e homicídios com armas de fogo. Estavam interessados em verificar se a nova lei sobre armas de fogo teve algum impacto e qual a direção. Usaram regressões lineares e regressões de Poisson usando dados dos dois períodos, antes e depois da reforma que restringiu as licenças para ter armas de fogo. Constataram que a presença de uma ou mais armas de fogo em casa aumenta os suicídios e os homicídios. Concluem, congruentemente, que uma das maneiras de reduzir essas ocorrências é restringir o acesso a armas de fogo.

Após analisar detalhadamente os dados concluíram, coerentemente, que em vários grupos de idade a taxa de homicídios com armas de fogo passou a ser significativamente menor após as leis mais duras. Além da taxa de homicídios com armas de fogo, a taxa de suicídios com armas de fogo também baixou e, como esperado, a percentagem de pessoas com licença para ter armas de fogo.

Saiba mais:

Nestor D. Kapusta, Elmar Etzersdorfer, Christoph Krall, Gernot Sonneck, Firearm legislation reform in the European Union: impact on firearm availability, firearm suicide and homicide rates in Austria, The British Journal of Psychiatry Aug 2007, 191 (3) 253-257; DOI: 10.1192/bjp.bp.106.032862.

GLÁUCIO SOARES          IESP-UERJ

O Enigma de Pastore

 

Há vários meses recebi de José Pastore uma gentil nota na qual expressava um enigma e uma preocupação de interesse para as políticas públicas de segurança. Tínhamos cerca de 25 mil egressos do sistema penitenciário por ano (egressos mesmo, exclusive fugas etc.). Dados de pesquisas fragmentadas sugeririam que, por um lado, os egressos que conseguiam emprego reincidiam muito menos do que os que não reincidiam e, por outro lado, que dados do mesmo tipo sugeriam uma altíssima reincidência entre os egressos, cerca de sete em dez. Empregá-los, portanto, é de alto interesse para a segurança de todos nós. O enigma: o Brasil cria cerca de dois milhões e meio de empregos por ano, mas não consegue empregar 25 mil egressos, um por cento dos empregos criados.

Por quê?

Quem ajudar a resolver esse enigma, ajudará o Brasil, os egressos empregados (e suas famílias) e a si próprio (e sua família e amigos).

 

GLÁUCIO SOARES

PS: quem não leu os trabalhos de Pastore, leia. É um dos melhores sociólogos do país.