REVERTENDO A FIBRILAÇÃO ATRIAL (A-Fib)

 

Eu estava pesquisando a respeito de problemas cardíacos em interesse próprio quando encontrei dados a respeito da relação entre estar em forma física e a fibrilação atrial (A-Fib). Tenho problemas com a fibrilação atrial há, pelo menos, três décadas. Há 6-7 anos fiz uma cirurgia chamada de ablação cardíaca. Deu certo. Os eletros, desde então, não acusam a fibrilação. Não obstante, continuo com medicamentos (amiodarona, ANCORON) para evitar esse tipo de problemas. “Meu” cardiologista me informou que esse medicamento pode contribuir para a neuropatia periférica e tem interações perigosas com outros medicamentos.

Continuei buscando.

O que descobri? Que melhorias relativamente pequenas na forma física cardiovascular produzem resultados significativos nos sintomas de A-Fib.

Jared Bunch é um cardiologista que dirige o programa de pesquisas sobre os ritmos cardíacos no Intermountain Medical Center Heart Institute em Murray, Utah. Ele queria saber se é possível reverter problemas cardíacos com mudanças no estilo de vida, o que usualmente significa exercício, dieta e perda de peso. A resposta, felizmente, é positiva. Oitenta por cento das pessoas acima do peso, inclusive obesas, que sofriam com A-Fib, que melhoram sua condição física cardíaca, não tinham mais sintomas quatro anos depois. Essa melhoria inclui as que continuaram com excesso de peso (suponho que substituíram parte da banha por músculo).

De outra fonte, soube que os trinta minutos podem ser substituídos por dois de quinze.

É isso. Boas notícias. Vamos andar um pouco?

GLÁUCIO SOARES IESP UERJ

Controlando os efeitos do entupimento da aorta

Aortas entupidas são um perigo constante de morte. Uma das maneiras de enfrentar esse problema é colocar umas armações de metal chamadas de stents que impedem as paredes de se grudarem umas nas outras. Dá certo? Quanto tempo dura?Stents salvam vidas

O gráfico mostra uma elevada taxa de sucesso: 86% no médio prazo e 77% a longo prazo.

Por que fazer?

O entupimento reduz o fluxo de sangue e causa a Hipertensão. Ele é responsável por 5% a 10% dos casos de falhas cardíacas congênitas. Se não for tratado responderá por uma alta percentagem das doenças (morbidade) e da mortalidade.

O pesquisador, Ralf Holzer estudou mais de trezentos pacientes para chegar a essa conclusão durante nove anos.

Nao obstante, o estilo de vida continua sendo a melhor garantia (e a mais fácil) de evitar problemas de entupimento: dieta adequada e exercícios.

Escrito por GLÁUCIO SOARES com base em resumo do artigo original.