Produtos orgânicos contaminados?

Os Estados Unidos enfrentam um problema inesperado, que afeta sobretudo os ecologicamente conscientes e os preocupados com uma alimentação saudável. Muitos dos produtos orgânicos (no Brasil, muitos usam o termo “natural”) que consomem talvez não sejam orgânicos.  Chad Tackett, passou a suspeitar que a invasão de produtos chineses talvez tivesse penetrado na agricultura, chegando ao supermercado perto de casa. Foi conferir e descobriu que muitos produtos vendidos como orgânicos eram importados da China. No reverso do produto, em letras pequenas, estava o preocupante “Made in China”.  A invasão incluía espinafre, morangos, ovos, pasta de amendoim etc.
Mas qual o problema? Afinal, é o mesmo produto, só que importado.
Não é o mesmo produto. Nos Estados Unidos,  há uma dura fiscalização por parte do Departamento de Agricultura – o que o cliente lê tem que ser verdade. Mas a China é outro país e não está sujeita, nem teria que estar, às normas e à fiscalização do USDA. Essa agência obriga os produtores a seguirem padrões na produção, no processamento e mais. 
A grande preocupação é o uso sem critérios de pesticidas na China, que contaminam os produtos e já contaminaram boa parte da área agrícola chinesa.
Pior: a água usada na irrigação é muito contaminada. A China explodiu na produção, sobretudo industrial, sem qualquer preocupação com o ambiente. É campeã da poluição ambiental.
Os vendedores americanos, inclusive supermercados, querem lucros, como manda a lógica do sistema. E enganam seus clientes fazendo-os acreditar que os produtos são orgânicos e livres de poluição quando, de fato, não têm nem podem ter essa certeza.
 
GLÁUCIO SOARES         IESP/UERJ

Combinando Tomates e Soja em pacientes com câncer de próstata

Notícias sobre o tomate e a soja chegadas da Ohio State University. Há algum tempo que pequenos estudos mostram dois efeitos: reduzem o risco de câncer de próstata e/ou aumentam a eficácia desta ou daquela terapia.Outro pequeno estudo vem se juntar aos anteriores. Com apenas 41 homens, as conclusões se tornam mais precárias. Dividiram os pacientes em grupos: um só tomou tomates e seus e seus produtos (no mínimo 25 mgs de licopeno/dia), mas nenhuma soja durante 4 semanas; o outro tomou 40 g de proteína de soja por dia. Depois de quatro semanas, os homens consumiram tanto licopeno (tomates) quanto soja durante outras quatro semanas. Verificaram o aumento de licopeno no sangue,e o de soja (isoflavonas) na urina. O PSA foi reduzido em 14 dos 41 homens durante o período. Um fator associado com o crescimento do câncer chamado de vascular endothelial growth factor baixou, na média do grupo de 87 para 51 ng/ml (P < 0.05) no período de oito semanas.

O estudo foi pequeno e só serve para estimular outros, mas bate com os resultados de outros estudos pequenos. Licopeno e soja produzem resultados, mas há variação grande entre os pacientes no que concerne as respostas: uns respondem muito, outros pouco e terceiros nada.

Fonte: Grainger EM, Schwartz SJ, Wang S, Unlu NZ, Boileau TW, Ferketich AK, Monk JP, Gong MC, Bahnson RR, DeGroff VL, Clinton SK. em Nutr Cancer. 2008 Mar-Apr;60(2):145-54.

Powered by ScribeFire.